Programa de Iniciação

RAQUERO – OPTIMIST

Segurança

1 – o velejador deve saber vestir e ajustar correctamente um colete de flutuação de modelo aprovado
e explicar:
a) porque é que se trata de um modelo aprovado e adequado ao tamanho e peso do velejador;
b) como se verifica se o colete está em bom estado.

2 – o velejador deve saber descrever e mostrar o vestuário e equipamento pessoal adequado para velejar (vela ligeira) de acordo com as condições climatéricas.

3 – o velejador deve citar de memória a palamenta mínima obrigatória a ter a bordo do barco que
utiliza.

4 – o velejador deve saber descrever as seguintes acções a desencadear imediatamente após o barco
virar:
a) tentar evitar que barco fique de patilhão para o ar;
b) manter-se sempre agarrado ao barco com uma mão;
c) como desvirar.

Marinharia, cultura náutica, aparelhar e desaparelhar

1 – o velejador deve ser capaz de executar sozinho:
a) volta de cunho;
b) nó de oito;
c) lais de guia;
e saber descrever a utilidade de cada um.


2 – o velejador deve saber identificar as seguintes partes da embarcação:

a) casco; j) enora;
b) proa; k) carlinga;
c) popa; l) flutuador;
d) costado; m) cinta para fazer prancha;
e) borda; n) caixa do patilhão;
f) verdugo; o) patilhão;
g) fundo; p) ferragens do leme;
h) poço; q) cana do leme;
i) bancada do mastro; r) leme.

 


3 – o velejador deve saber identificar as seguintes partes do aparelho: mastreação, velame, massame
e poleame:

a) mastro; k) punho da escota; u) moitão;
b) retranca; l) saco das réguas; v) olhal;
c) espicha; m) réguas; w) cunho;
d) testa; n) insígnia/logótipo da classe; x) mordedor;
e) esteira; o) letras indicativas do país; y) passador;
f) valuma; p) número de registo do barco na classe; z) manilha;
g) gurutil; q) escota; aa) vertedouro;
h) punho da pena; r) boça; bb) pagaia.
i) punho da boca; s) boomjack;
j) punho da amura; t) cunningham e contra cunningham;

 


4 – o velejador deve saber identificar os seguintes termos:

a) bombordo; j) virar em roda; s) bolina cerrada;
b) estibordo; k) adornar; t) bolina folgada;
c) orçar; l) fazer prancha; u) pelo través;
d) arribar; m) timoneiro; v) largo fechado;
e) caçar/folgar; n) a barlavento; w) largo aberto;
f) bolina; o) a sotavento; x) popa rasada;
g) largo; p) velejar à bolina; y) amurado a estibordo;
h) popa; q) velejar ao largo; z) amurado a bombordo.
i) virar por davante; r) velejar à popa;

 

5 – o velejador deve saber aparelhar e desaparelhar o seu próprio barco, tratando a sua palamenta,
arrumando-a correctamente, após a sua utilização.

6 – o velejador deve saber descrever como largar e chegar à vela:
a) a um cais;
b) a uma bóia/pneumático.

7 – o velejador deve saber descrever e saber utilizar quatro formas distintas de encontrar a direcção do
vento em terra e no mar.

8 – o velejador deve saber fazer um triângulo de regata, esquematizando de uma forma correcta as
diversas mareações.

A bordo – até 10 nós de vento

1 – o velejador deve saber amarrar correctamente um cabo a um cunho.

2 – o velejador deve saber entrar e sair correctamente de um barco de vela ligeira amarrado a um cais.

3 – o velejador deve saber demonstrar um correcto equilíbrio e a capacidade para corrigir desequilíbrios provocados pela movimentação de outras pessoas a bordo, vento ou mar.

4 – o velejador deve saber pagaiar sem leme (aprox. 30m).

5 – o velejador deve saber a bordo identificar a direcção do vento.

6 – o velejador deve saber executar os seguintes procedimentos de reboque:
a) modo de receber, amarrar e largar o cabo de reboque;
b) locais adequados para amarrar o cabo de reboque;
c) modo correcto de amarrar o cabo a bordo para dar um reboque a um barco;
d) procedimentos com o leme e aspectos a ter em atenção durante o reboque e no momento de o largar.

7 – o velejador deve saber (manobrando o leme e a escota) governar o barco de modo a para-lo num ponto pré determinado:
a) a um cais;
b) a uma bóia/pneumático.

8 – o velejador deve saber dar seguimento ao barco quando este está aproado ao vento e parado, aquartelando a vela e fazendo os movimentos adequados de leme.

9 – o velejador deve saber, desempenhando a função de timoneiro, proceder a ajustes simples do leme
ou da vela de modo a manter uma trajectória rectilínea em qualquer mareação num triângulo de regata.